Informação adicional

Autor

Cristo, O Salvador que Engrandeceu a Lei, por R. M. M’Cheyne

SKU: 1f912b3aacb0 Categoria:

Descrição

“Surdos, ouvi, e vós, cegos, olhai, para que possais ver. Quem é cego, senão o meu servo, ou surdo como o meu mensageiro, a quem envio? E quem é cego como o que é perfeito, e cego como o servo do Senhor? Tu vês muitas coisas, mas não as guardas; ainda que tenhas os ouvidos abertos, nada ouves. O Senhor se agradava dele por amor da sua justiça; engrandeceu-o pela lei, e o fez glorioso” (Isaías 42:18-21).

A partir desta porção da Escritura, Robert Murray M´Cheyne belamente nos mostra como em nosso Senhor Jesus Cristo a Lei de Deus é engradecida e feita gloriosa, e as implicações eternas dessa Verdade, para os bem-aventurados Cristãos, e a insensatez de manter-se fora de Cristo.

Consideremos,

I. O nome aqui dado aqui aos pecadores.

II. O Objeto apontado.

III. A Obra de Cristo.

IV. Os efeitos.

***

“Quando Deus expulsou o diabo e seus anjos no inferno, isso mostrou de uma maneira mui terrível a verdade de Suas ameaças, o terrível rigor de Sua lei. Se Deus tivesse lançado todos os homens para o inferno, Ele teria demonstrado a mesma coisa.

Porém, muito mais quando Cristo inclinou a cabeça sob o golpe da maldição da Lei. Ele era uma pessoa de infinita dignidade e glória: “Deus bendito eternamente” (Romanos 9:5). Ele não teve por usurpação ser igual a Deus. Ele era muito exaltado sobre toda a bênção e louvor. Deus-homem; o único Ser que já esteve nesta terra que era Deus e homem. Ele foi o único que não tinha pecado pessoal. Ele era perfeito, não conheceu pecado, não cometeu pecado, era santo, inocente, imaculado e separado dos pecadores.

Ele era infinitamente querido a Deus. Seu próprio Filho, o Seu Filho unigênito, aquele que estava no princípio com Deus, e era Deus; em cujo seio de amor do Deus incriado tinha fluído desde toda a eternidade. Foi Ele quem veio e curvou o pescoço para o jugo da Lei. Ele foi visto dos anjos. Anjos desejavam olhar para a terrível cena. Os olhos de milhões de mundos foram transformados em direção ao Calvário. Quando Jesus morreu, Ele nos resgatou da maldição da Lei, fazendo-Se maldição por nós; e agora todos no mundo viram que Deus não pode ser zombado.

Ele acrescentou brilho à santa Lei.

Anjos e arcanjos viram, e tremeram enquanto eles contemplaram.

Aquele que não poupou o seu Filho, não poupará nenhum outro”.

“Seja quem for dentre vocês que estiver disposto a abandonar a sua própria justiça, e tomar a Cristo como seu Fiador, Deus não apenas perdoa, mas permanece bem satisfeito com você por causa da justiça dEle. O mesmo amor com que Ele ama a Cristo, Ele derramará sobre você; e, oh! quem pode admirar, quando você realmente pensa sobre a justiça do Senhor Jesus, engrandecedora da Lei?

É um oceano de justiça divina, e aqueles que estão mergulhados nele estão, por assim dizer, absortos em justiça divina. É uma atmosfera de luz, pronta a envolver a alma, de modo que o pecador pode ser totalmente coberto, e, assim, tornar-se divinamente justo, e infinitamente agradável a Deus”.

Bendito seja o nosso Senhor Jesus Cristo, “o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção” [1 Coríntios 1:30]. Amém.
 

Informação adicional

Autor