Textos

 
1  2  3  >  > >

Devocional Banco da Fé • 4 de Março

 

Honre a Deus

 

“Aos que me honram, honrarei.” (1 Samuel 2:30)

 

Eu faço da honra de Deus o grande objetivo da minha vida e a regra de minha conduta? Se assim for, Ele me honrará. Por um tempo, eu posso não receber honra alguma do homem, mas o próprio Deus me honrará da forma mais eficaz. Por fim, será visto que o caminho garantido para a honra é estar disposto a ser condenado à vergonha por causa da consciência.

 

Eli não tinha honrado o Senhor governando bem a sua família, e seus filhos não haviam honrado o Senhor se comportando de forma digna de seu ofício sagrado, e, portanto, o Senhor não os honrou, mas tomou o sumo sacerdócio de sua família e fez o pequeno Samuel ser juiz na terra em vez de qualquer um daquela linhagem. Se eu desejo ter a minha família honrada, devo honrar o Senhor em todas as coisas. Deus pode permitir que o ímpio ganhe as honras do mundo; mas a dignidade que Ele mesmo dá, glória, honra e imortalidade, Ele reserva para aqueles que por meio de santa obediência tomam o cuidado de honrá-lO.

 

O que posso fazer hoje para honrar o Senhor? Eu promoverei a Sua glória por meu testemunho falado e pela minha obediência prática, também irei honrá-lO com meus bens e oferecendo a Ele algum serviço especial. Que eu me sente e pense como posso honrá-lO, já que Ele me honrará.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 29 de Fevereiro

 

O que Nos Segue

 

“Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida.” (Salmos 23:6)

 

Um poeta piedoso canta:

 

Senhor, quando puseste no meu tempo um dia, como Tu fazes agora, desconhecido em outros anos, conceda, eu suplico, tal graça que o ilumine, para que seja qual for a mudança, cresça santidade e aumente o louvor!

 

Este dia ocorre uma vez a cada quatro anos... Até agora a bondade e a misericórdia, como dois guardas, nos seguem a cada dia, cuidando do que está atrás de nós, ainda que a graça cuide do que está adiante; e como este dia fora do comum é um dos dias da nossa vida, os dois guardas estarão conosco hoje também. A bondade supre as nossas necessidades e a misericórdia remove os nossos pecados — estes dois devem participar de cada passo em nosso dia e por todos os dias até o fim. Portanto, sirvamos ao Senhor nesse dia singular com especial consagração do coração e cantemos os Seus louvores com mais entusiasmo e doçura do que nunca. Não poderíamos fazer hoje uma oferta incomum para a causa de Deus ou para os pobres? Por meio da criatividade do amor, façamos com que este 29 de fevereiro seja um dia a ser lembrado para sempre.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 28 de Fevereiro

 

Verdadeira Herança no Céu

 

“Sabendo que em vós mesmos tendes nos céus uma possessão melhor e permanente.” (Hebreus 10:34)

 

Isso é bom. Nossa possessão aqui é muito inconstante; não há nenhuma firmeza nisso. Mas Deus nos deu uma promessa de possessões reais na terra da glória, e essa promessa vem aos nossos corações com tal plena segurança da sua certeza que sabemos em nós mesmos que encontramos firmeza eterna ali. Sim, nós já “temos” essa possessão agora mesmo. Dizem que “um pássaro na mão vale mais do que dois voando”, mas o nosso pássaro está voando, e está na mão também. Agora, o Céu já é nosso. Nós temos o título de posse dele, temos o penhor dele e temos os seus primeiros frutos. Temos o Céu em estima, na promessa, e, em princípio; não sabemos disso apenas por ouvi-lo, mas “em nós mesmos”.

 

O pensamento da melhor possessão do outro lado do Jordão não deve nos reconciliar com as perdas atuais? Podemos perder o dinheiro que gastamos, mas o nosso tesouro está seguro. Perdemos as sombras, mas a substância permanece, pois o nosso Salvador vive, e o lugar que Ele preparou para nós permanece. Há uma terra melhor, uma substância melhor e uma promessa melhor; e tudo isso vem a nós por uma melhor aliança; Por isso, tenhamos melhor ânimo, e digamos ao Senhor: “Cada dia te bendirei, e louvarei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre” [Salmos 145:2].

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 27 de Fevereiro

 

Confiança Firme

 

“Não temerá maus rumores; o seu coração está firme, confiando no Senhor.” (Salmos 112:7)

 

O suspense é terrível. Quando não temos notícias de casa, podemos ficar ansiosos e não conseguimos ser convencidos de que “nenhuma notícia é uma boa notícia”. A fé é a cura para essa condição triste; o Senhor, pelo Seu Espírito estabelece a mente em santa serenidade e todo o medo quanto ao futuro e ao presente é removido.

 

A firmeza de coração sobre o que fala o salmista deve ser diligentemente buscada. Ela não está crendo nessa ou naquela promessa do Senhor, mas na condição geral de fidelidade e imutabilidade em nosso Deus, a confiança que temos nEle de que não nos fará mal, nem mesmo permitirá que qualquer outra pessoa nos prejudique.

 

Essa confiança constante enfrenta o desconhecido, bem como o conhecido da vida. Que o amanhã seja o que for, o nosso Deus é o Deus de amanhã. Sejam quais forem os eventos que ocorram, os quais nos são desconhecidos, nosso Senhor é Deus do desconhecido, bem como do conhecido. Estamos determinados a confiar no Senhor, não importa o que aconteça. Se o pior acontecer, nosso Deus ainda é o maior e melhor. Por isso, não temeremos, ainda que a chegada do carteiro nos assuste ou um telefonema nos acorde à meia-noite. Vive o Senhor, e o que os Seus filhos temerão?

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 25 de Fevereiro

 

Separados

 

“Porém vós sereis chamados sacerdotes do Senhor.” (Isaías 61:6)

 

Esta promessa literal a Israel pertence de modo espiritual para a semente segundo o Espírito, ou seja, para todos os crentes. Se vivemos em nossos privilégios, devemos viver para Deus de forma tão clara e distinta que os homens devem perceber que estamos separados para o serviço santo e deverão nos chamar de sacerdotes do Senhor.

 

Podemos trabalhar ou comercializar como os outros, e ainda assim podemos ser exclusiva e integralmente servos a serviço de Deus. Nossa única ocupação será apresentar o sacrifício perpétuo da oração, louvor, testemunho e autoconsagração ao Deus vivo por meio de Jesus Cristo.

 

Sendo esse o nosso único objetivo, podemos deixar as preocupações que distraem para aqueles que não têm uma vocação mais elevada. “E haverá estrangeiros, que apascentarão os vossos rebanhos; e estranhos serão os vossos lavradores e os vossos vinhateiros” [Isaías 61:5]. Estes podem cuidar de políticas, avaliar problemas financeiros, discutir a ciência e resolver os últimos novos equívocos da crítica; mas quanto a nós, nos entregaremos a tais serviços como a nos tornarmos aqueles que são ordenados para o sacerdócio perpétuo, à semelhança do Senhor Jesus.

 

Aceitando essa promessa honrosa que envolve um dever sagrado, vamos colocar as vestes de santidade e ministrar perante o Senhor por todos os dias. 

Veja mais

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

1  2  3  >  > >

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: