Textos

 
1  2  3  >  > >

Devocional Banco da Fé • 7 de Junho

 

O Lugar Mais Seguro

“E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.” (João 10:28)


Nós acreditamos na segurança eterna dos santos. Em primeiro lugar, porque eles são de Cristo, e Ele nunca perderá as ovelhas que Ele comprou com o Seu sangue e recebeu de Seu Pai.

E também porque Ele dá-lhes a vida eterna, e se é eterna, ora, ela é eterna, e não pode haver fim para ela assim como não haverá fim para o Inferno ou para o Céu, e nem para Deus. Se a vida espiritual puder morrer, obviamente não seria a vida eterna, pois esta não é passível de ter um fim.

Observe ainda que o Senhor expressamente diz: “nunca hão de perecer”. Enquanto as palavras tiverem um significado, isso guarda os crentes de perecerem. A incredulidade mais obstinada não pode mudar o significado desta sentença.

Então, para encerrar a questão, Ele declara que o Seu povo está em Sua mão, e Ele desafia todos os Seus inimigos a arrancá-los dali. Certamente isso é algo impossível, mesmo para o demônio do Inferno. Devemos estar seguros na mão de um Salvador onipotente. Que nós renunciemos ao medo e à confiança carnais, e descansemos tranquilamente na palma da mão do Redentor.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 6 de Junho

 

Ele Sempre Ouve

“O Senhor já ouviu a minha súplica; o Senhor aceitará a minha oração.” (Salmos 6:9)


Aqui está registrada a minha experiência. Posso assegurar que Deus é verdadeiro. De formas muito maravilhosas Ele tem respondido as orações de Seu servo muitas e muitas vezes. Sim, e Ele está ouvindo a minha presente súplica, e Ele não tem afastado os Seus ouvidos de mim. Bendito seja o Seu santo nome!

E, então? Ora, por certo a promessa que repousa na certeza da fé do salmista também é minha. Deixe-me segurá-la pela mão da fé: “O Senhor aceitará a minha oração”. Ele vai aceitá-la, pense nisso, e Ele a concederá na forma e no tempo que Sua amorosa sabedoria julgar ser o melhor. Eu trago minha pobre oração em minha mão até o grande Rei, e Ele me ouve e graciosamente recebe a minha petição. Meus inimigos não me ouvirão, mas o meu Senhor me ouvirá. Eles ridicularizam minhas orações misturadas às minhas lágrimas, mas o meu Senhor não o faz; Ele recebe a minha oração em Seu ouvido e em Seu coração.

Que recepção é esta a um pobre pecador! Nós recebemos Jesus, e então o Senhor recebe a nós e as nossas orações, por amor do Seu Filho. Bendito seja aquele querido Nome que conduz as nossas orações para que elas passem livremente, mesmo pelos portões de ouro. Senhor, ensina-me a orar, já que Tu ouves as minhas orações.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 5 de Junho

 

Existe uma diferença?

“Mas entre todos os filhos de Israel nem mesmo um cão moverá a sua língua, desde os homens até aos animais, para que saibais que o Senhor fez diferença entre os egípcios e os israelitas.” (Êxodo 11:7)


O quê? Deus tem poder sobre as línguas dos cães? Ele pode nos guardar de latidos? Sim, é assim mesmo. Ele pode impedir que um cão egípcio se preocupe com um dos cordeiros do rebanho de Israel. Porventura Deus silencia cães, e os caninos entre os homens, e o grande cão no Portão do Inferno? Então, vamos e sigamos em nosso caminho sem medo.

Se Ele permitir que os cães movam as suas línguas, ainda assim, Ele pode parar seus dentes. Eles podem fazer um barulho terrível e, contudo, não nos provocar nenhum dano real. Ainda assim, quão doce é a calma! Como é agradável movimentar-se entre os inimigos e perceber que Deus os faz estar em paz conosco! Como Daniel na cova dos leões, permanecemos ilesos em meio aos destruidores.

Oh, que hoje esta palavra do Senhor a Israel seja verdade para mim! Será que o cão me preocupa? Contarei ao meu Senhor sobre ele. Senhor, ele não se importa com as minhas súplicas, mas se Tu falares com Tua Palavra poderosa ele se aquietará. Dá-me paz, ó meu Deus, e deixe-me ver claramente a Tua em meio a ela, para que eu possa perceber mais claramente a diferença que a Tua graça tem feito entre mim e os ímpios!

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 4 de Junho

 

Preciosíssimos

“E eles serão meus, diz o Senhor dos Exércitos; naquele dia serão para mim joias.” (Malaquias 3:17)


O dia está chegando em que as joias da coroa do nosso grande Rei serão contadas, para que seja visto se eles correspondem à herança que Seu Pai Lhe deu. Minha alma, queres estar entre as coisas preciosas de Jesus? Tu és preciosa para Ele, se Ele é precioso para ti; e tu serás dEle “naquele dia”, se Ele é teu neste dia.

Nos dias de Malaquias, os escolhidos do Senhor estavam tão acostumados a conversar uns com os outros, que o seu próprio Deus ouvia a conversa deles. Ele gostava tanto disso que Ele mesmo o observou; sim, e fez um livro com estas conversas, que Ele guardou em Seu registro memorial. Satisfeito com a conversa, Ele também estava satisfeito com eles. Pare, minha alma, e pergunte a si mesma: Se Jesus estivesse ouvindo a tua conversa, Ele estaria satisfeito com ela? Ela é para a Sua glória e para a edificação dos irmãos? Responda, minha alma, e te assegures que dizes a verdade.

Mas, que honra é para nós, pobres criaturas, sermos considerados pelo Senhor como as joias de Sua coroa! Esta honra é de todos os santos. Jesus não diz apenas: “Eles são meus”, mas, “Eles serão meus”. Ele nos comprou, nos buscou, nos conduziu e até agora nos tem feito à Sua imagem, a qual deverá ser consumada em nós por Ele com todo Seu poder.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 3 de Junho

 

Caminhada Segura

“O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.” (Habacuque 3:19)


Esta confiança do homem de Deus é equivalente a uma promessa, pois aquilo de que a fé está convencida é o propósito de Deus. O profeta precisou atravessar as profundezas da pobreza e da fome, mas ele desceu o vale sem escorregar, porque o Senhor o manteve de pé. Aos poucos, ele foi chamado para os altos das colinas do conflito; e ele não teve mais medo de subir, do que de descer.

Veja! O Senhor concedeu-lhe força. Não, o próprio Yahwéh era a sua força. Pense nisso: o Deus todo-poderoso torna-Se a nossa força!

Observe que o Senhor também lhe deu caminhada segura. As cervas saltam sobre a rocha e os rochedos sem nunca perderem o equilíbrio. Nosso Senhor nos dará a graça de seguir os caminhos mais difíceis do dever sem que tropecemos. Ele pode capacitar os nossos pés a saltar sobre os rochedos de modo que estaremos como em casa, onde, se separados de Deus, pereceríamos.

Em um destes dias seremos chamados para lugares mais altos ainda. Subiremos, mesmo até o monte de Deus, os lugares altos onde os santos são recolhidos. Oh, os pés da fé, pelos quais, ao amanhecer, subiremos ao monte do Senhor!

Veja mais

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

1  2  3  >  > >

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: