Textos

 

Como o Deus Justo Pode Justificar o Homem Injusto? Meditações sobre a Justificação, por Paul Washer

 

[Excerto do Sermão O Verdadeiro Evangelho do Senhor Jesus Cristo • Paul David Washer]


 

A “Acrópole da Fé Cristã”

 

Vamos ao Livro de Romanos, capítulo 3, versículos 23-27:

 

23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; 24 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. 25 Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; 26 Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus. 27 Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.

 

Spurgeon, Martyn Lloyd-Jones e outros, chamam esse texto de “Acrópole da Fé Cristã”. A “Cidade Fortificada”, a “Cidade Edificada na Montanha”. Muitos teólogos têm dito que se perdessem toda a Bíblia e pudessem manter apenas um texto, seria esse, porque esse texto é uma porção, um fragmento, uma semente do Evangelho. Agora, apesar de existir aqui teologia suficiente para nos manter estudando por toda a eternidade, por que eu digo que é uma semente ou fragmento do Evangelho?

 

Deixe-me compartilhar uma coisa muito, muito importante, antes de iniciar o sermão. Muito do que é falado hoje sobre a segunda vinda [de Jesus]; todo mundo quer saber sobre a segunda vinda, mas você vai entender tudo sobre a segunda vinda no dia em que ela acontecer; “quando vai acontecer isso” e “quando Ele vai fazer isso”, e “quais serão exatamente os sinais que mostrarão Ele fazendo as coisas que Ele vai fazer na segunda vinda”. Mas, você levará uma eternidade de eternidades no Céu e ainda não começará a compreender o Evangelho de Jesus Cristo. Não é uma mensagem entre muitas, é a mensagem das Escrituras e a mensagem do Cristianismo.

Veja mais

A Ira de Deus, por Paul Washer

 

[Excerto do Sermão O Verdadeiro Evangelho do Senhor Jesus Cristo • Paul David Washer]

Ira de Deus


Permitam-me, por um momento, falar uma coisa que será bastante ofensiva para vocês. Quero falar um momento sobre o ódio de Deus. Pergunto: quantos de vocês — levante a mão — já ouviram um sermão sobre o ódio de Deus? 1, 2, 3, 4, 5. Bom! Isso é melhor do que o normal. O ódio de Deus?! “Irmão Paul, mas...”. Como uma jovem disse: “Deus... Deus não odeia, Deus é amor! Portanto, Ele não pode odiar!”. Não. Deus é amor e, portanto, Ele deve odiar. Antes de irmos às Escrituras, deixe-me dar a você uma ideia. Você ama bebês? Eu amo. Eu tenho vários em minha casa. Eu realmente amo bebês. A coisa mais difícil em meu ministério é ficar distante dos meus bebês. Não me importo se já são grandes, ainda serão meus bebês. Se eu amo bebês, eu devo odiar o aborto. Você ama os judeus? Eu amo. Você deve odiar o holocausto. Você ama os afro-americanos? Você deve odiar a escravidão. Desculpe-me, não há neutralidade. Viram? Se você realmente ama o que é correto, o que é perfeito, o que é bom, há também uma animosidade, inimizade, contra tudo que contradiz esse padrão. Deus ama tudo o que é certo! Tudo o que é verdadeiro! Tudo o que é bom! Tudo o que é virtuoso! Mas, Escritura após Escritura após Escritura na Bíblia, nos diz que seu ódio é manifestado contra a iniquidade. Eu poderia ignorar isso, se você prefere. Eu poderia ficar em silêncio, se você prefere. Mas, eu não poderia ser fiel a Deus.

Deixe-me dar um bom texto. Vejamos Salmos, capítulo 5, apenas por um momento: “Os loucos não pararão à tua vista; odeias a todos os que praticam a maldade”. Agora, você sabe de uma maravilhosa declaração parecida com esta? “Deus ama o pecador, mas odeia o pecado”. Veja esse texto. É o que nos ensina? Não é o que nos ensina! Desculpe-me! É outra coisa bonita para se dizer, que fica bonita nas camisas cristãs contemporâneas. Mas, não é o que a Escritura ensina. Não diz aqui que o ódio de Deus é manifestado contra o ato pecaminoso. Diz que o ódio de Deus é manifestado contra aquele que comete o ato. Não se engane, o ódio de Deus não é como o nosso. Ele não é egocêntrico, egoísta, odioso. É a reação de um Deus santo contra o homem que é vil. De quem você está falando? De todo homem que já nasceu, de todo filho de Adão.

Veja mais

Sendo Uma Testemunha, por Paul David Washer

 

Vamos abrir as nossas Bíblias no livro de Mateus. Mateus 28, versículo 18-20:
 

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. 19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.


[...] Vamos olhar para o nosso texto. Aqui temos a Grande Comissão. Reparem que não é o grande mandamento. A obediência à Grande Comissão flui do grande mandamento. Você deve ser, antes de mais, alguém que ame o Senhor seu Deus de todo o coração. E deve ser alguém que foi tão transformado que ama o seu próximo como a si mesmo. Então, para ser uma verdadeira testemunha de Jesus Cristo, tem que conhecer a Deus, tem que passar tempo com Ele e ser transformado.


No Ocidente, temos uma cultura de demasiada atividade e ocupação. E temos trazido isso para o nosso Cristianismo. Pensamos que é espiritual fazer muitas coisas no Nome de Cristo. Mas, quantas dessas coisas realmente dão fruto? A sua maior necessidade é conformidade com Jesus Cristo e conhecer a Sua vontade. E isso requer que passe tempo com Ele. É esse tempo com Cristo Jesus que tornará você um servo frutífero. 

Veja mais

A Videira e os Ramos, por Paul Washer

 

Em Oséias 14:8, escute esse versículo: “Que mais tenho eu com os ídolos? Eu o tenho ouvido, e cuidarei dele; eu sou como a faia verde; de mim é achado o teu fruto”. Isto é o que Deus diz a Efraim e é muito importante porque a palavra “Efraim” significa frutífero. Ele os nomeou frutífero, mas o problema era que essa tribo começou a pensar que eles eram a fonte de sua própria frutificação. Então Deus diz: “Não, Eu Sou a fonte de toda a sua frutificação”. Outra coisa que esse texto nos ensina é isto: Nós devemos resistir ao orgulho que pode saltar à frente da frutificação. Sabe, alguns progressos na vida Cristã podem também ser perigosos. Está é a razão do porque Deus não permite algumas vezes que experimentemos todo o progresso que nós esperávamos porque isso tornar-se-ia contra nós em orgulho, porque somos imaturos para carregar tamanho fruto.

Se você e eu estamos sempre alcançando a nossa vida Cristã por meio de nossos próprios esforços, se estamos fazendo isso pelo nosso poder, então o que veremos é um constante estado de inconsistência porque nós somos inconstantes. Nós somos inconstantes, e isso deveria nos encorajar a fazer o quê? A abandonar toda esperança em nós e jogarmos em Cristo, e lançá-la em Cristo, lançá-la em Cristo, para que nós possamos carregar frutos permanentes, frutos permanentes! O fruto dEle que Ele carrega na vida do crente sempre será um reflexo de Sua própria santidade e justiça. “Mas o fruto do espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei” (Gálatas 5:22,23). Você não quer ser assim? Bem, se você deseja ser assim, você deve abandonar toda esperança, toda esperança em você, toda esperança em outros meios. E você deve correr, correr, correr para Jesus Cristo! Corra para Cristo! Todas as outras videiras são inúteis. Todas outras fontes são inúteis.

Veja mais

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: